PODCAST: Alface. Levantar as Saias ao Diabo (5 Abr 2018)

Alface. Levantar as Saias ao Diabo | Teresa Carvalho

No seguimento da recente edição de um volume que reúne um conjunto de ensaios sobre a obra de Alface – Alface. Levantar as Saias ao Diabo –, a Tigre de Papel convidou a autora, Teresa Carvalho (TC), a vir à livraria apresentar o seu trabalho e falar um pouco sobre a obra daquele escritor maior da literatura portuguesa do final do século XX.

TC começou por sublinhar que recusava o qualificativo de «especialista» na obra de Alface, desde logo porque imagina que ao próprio, seguramente, não agradaria o termo, mas também por considerar que essa é uma terminologia própria daquilo que designa por «literatura de canteirinho, em que há uns poucos capazes de tratar do seu próprio jardim», ao passo que a sua preferência – e daí o fascínio pela obra de Alface – vai para uma literatura de «horta comunitário» ou um «baldio literário».

TC caracterizou a obra de Alface como um gesto de contestação das noções correntes de obra literária. Antes de mais pelo próprio uso da linguagem – particularmente notável e inovador nos três livros que publicou com Manuel da Silva Ramos, Os Lusíadas (1977), As Noites Brancas do Papa Negro (1982) e Beijinhos (1996) – mas sobretudo pela mestria na renúncia de uma escrita de lugares-comuns. Ainda que cultivasse um modo não pretensioso de escrever, Alface tinha a capacidade de surpreender a cada passo, fosse na construção das personagens, no insólito das suas histórias ou na utilização do humor e da ironia.

Destacou, em particular, os seus contos, como a componente da sua oba de que mais gosta, mas também os diversos livros infantis que publicou e que revelam uma tentativa de aproximar as crianças de um esforço de leitura mais complexo.

TC teve ainda a oportunidade de ler algumas passagens da obra de Alface e pudemos conversar, entre os presentes, sobre a obra e a vida deste autor tão precocemente desaparecido. A sessão ficou registada e pode ser ouvida na secção de podcasts.