img-book

O Lugar dos Ricos e dos Pobres no Cinema e na Arquitectura em Portugal
de AAVV, José Neves (coord.)

de: AAVV

Desde sempre, no cinema, como no mundo – nos quartos, nas casas e nas cidades –, os ricos e os pobres tiveram os seus lugares, mais ou menos nítidos: da fábrica de onde saem os operários dos irmãos Lumiére a Xanadu, de Citizen Kane, dos «lugares de miséria atrás de magníficos edifícios», dos olvidados de […]

29,50

Tag:
sobre o livro
Overview

Desde sempre, no cinema, como no mundo – nos quartos, nas casas e nas cidades –, os ricos e os pobres tiveram os seus lugares, mais ou menos nítidos: da fábrica de onde saem os operários dos irmãos Lumiére a Xanadu, de Citizen Kane, dos «lugares de miséria atrás de magníficos edifícios», dos olvidados de Buñuel, à Paris dos seus burgueses discretamente encantadores, da vila dos pescadores de La Terra Trema às villas das condessas, reis e príncipes de Visconti, dos albergues dos pobres de Preston Sturges aos hotéis de luxo de Lubitsch, dos borgate dos subproletários de Pasolini aos subúrbios das famílias remediadas de Ozu, das ruas da vergonha de Mizoguchi aos becos e ruelas do Anjo Azul, da casa da mãe siciliana de Huillet e Straub à Versalhes do Rei Sol de Rosselini, das roulottes dos lusty men de Nicholas Ray à Fat City de John Huston, do quarto alugado da rapariga da mala de Zurlini ao palácio dos seus amantes, os lugares dos criados e dos senhores de Jean Renoir, todos os lugares de Chaplin…
Qual tem sido, em Portugal, o lugar dos ricos e dos pobres no cinema? Qual vai sendo o lugar dos ricos e dos pobres na arquitectura? Como é que o cinema pensa e olha essa arquitectura? Pode a arquitectura pensar e construir-se também a partir desse cinema? Foram estas questões que levaram à realização de um ciclo de doze filmes promovido pelo Núcleo de Cinema da Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, com a coordenação de José Neves.
À sua projecção, que aconteceu durante seis meses na Cinemateca Portuguesa, entre Outubro de 2007 e Março de 2008, seguiu-se uma conversa, na maior parte dos casos entre o realizador do filme e um arquitecto convidado. Os 12 fascículos desta colecção – agora reunidos neste volume – transcrevem essas conversas.

Detalhes

Editora: Dafne
Data de publicação: 2014
Nº de páginas: 408