img-book
Categorias: , Etiqueta:

Eternidade
de Ferreira de Castro

de: Ferreira de Castro

“O homem, um dia, mataria a morte, dando à vida nova feição, emancipando-a da lei suprema, erguendo-a, vitoriosa, perante os deuses de outrora, ante o passado onde se perdiam, esquecidos, triliões de corpos que nem cinzas já eram sequer, triliões de almas que se apagaram, com as suas angústias e anelos, no anonimato de uma noite imensa, de onde parecia exalar-se ainda um murmúrio de dor e de discordância.” 

O romance «Eternidade» foi publicado em 1933 e a história gira em torno da perda de Helena, a mulher amada de Juvenal, o protagonista desta história. “Diante da solidão de Juvenal e da sua vontade de cometer suicídio, compartilhamos as suas reflexões sobre a existência humana, o seu sentido condicional, a criação dos vários deuses, a dor dos que vivem,  a resignação humana, a burguesia egoísta e supérflua, as religiões e o convite ao comodismo”.

Este romance é autobiográfico na medida em que se estabelece um paralelismo com a vida do autor que perdeu a sua primeira esposa, a poetisa Diana de Liz, e a tentativa de suicídio cometida por este depois que a sua amada se foi. O romance envereda pelo drama de Juvenal, e salvo as devidas diferenciações entre vida real e ficção, foi também um drama vivido pelo próprio autor. (CP)

7,50

Tag:
Livros disponíveis de Ferreira de Castro
sobre o livro
Detalhes

Editora: Guimarães e c.ª Editores
Data de publicação: 1933
Nº de páginas: 324