Activismo Afectivo. O Projecto Artístico Mnemosyne

O activismo afectivo é uma atitude e um propósito, uma ontologia e uma epistemologia, para formar uma constelação. Nasce da relação com o estudo de caso de um projecto de dramaturgia participativa “com”, “na” e “sobre” a comunidade de mais de uma centena de avós, a que Cláudia Andrade, a directora artística, chamou de Mnemosyne. Este projecto durou cinco anos e acumulou múltiplas acções (teatro, documentário, curta-metragem, exposição-instalação, formação), em quinze territórios de Portugal, sobre a biografia destas avós, numa manta de retalhos repleta de entrelaçamentos, nós, continuidades e descontinuidades.

O gesto activante e activista definiu-se como uma cerimónia de definição para fazer dançar a memória, não só como passado, mas também como um futuro comum. O projecto Mnemosyne sustenta o impacto das práticas artísticas na experiência pessoal e social de estar e ser no mundo. E o activismo afectivo constitui-se como a ferramenta teórica e prática para transformar o saber-fazer em pensamento-acção, uma ferramenta necessária a qualquer política cultural.

autor/a Ricardo Seiça Salgado

13,00

Informação adicional

autor/a Ricardo Seiça Salgado
nº de páginas 144
ano de publicação 2023
editora Tigre de Papel